4 coisas que você precisa saber sobre amamentação

4 coisas que você precisa saber sobre amamentação

O nascimento do bebê está chegando e você quer se preparar para a fase de amamentação? Conversamos com a consultora Natalia Zveibil sobre as principais questões para quem planeja amamentar.

É preciso ter informação para estar tranquila e preparada para o nascimento e os cuidados com bebê. Escolhemos as dúvidas mais frequentes e primordiais para essa entrevista com a fonoaudióloga e consultora de amamentação Natalia Zveibil. Ela falou sobre o instinto materno na amamentação, as dores para amamentar, a livre demanda e algumas dicas para mamadas. Venha participar desse bate-papo.

A amamentação é instintiva?  

Acredito muito que exista um instinto materno da amamentação, mas é preciso ter técnica para amamentar. Mesmo que você tenha um instinto, se o bebê não está pegando direitinho, se ele não está numa posição adequada ou tem alguma alteração da linguinha, de frênulo lingual, pode desandar a amamentação. Muitas mulheres têm o instinto, a vontade e a informação, mas não conseguem amamentar como gostariam porque têm alguma fissura ou porque a produção caiu. É preciso posicionar bem o bebê, é preciso uma pega adequada. O sucesso da amamentação depende sim de uma técnica.

A mulher pode ter dores na amamentação? Amamentar dói?

Inicialmente pode ser dolorido, porque o mamilo é uma pele realmente mais sensível e tem um atrito constante. Pode incomodar, mas a dor muito forte, uma fissura ou um machucado acontecem porque alguma coisa está errada. A pega pode estar errada, a posição pode estar errada, pode ter alguma influência da linguinha do bebê ou alguma outra alteração. Inicialmente, pode ter alguma dor, uma sensibilidade maior – mas uma dor constante ou muito forte tem que ser investigada.

O bebê tem que mamar de três em três horas?

O que a gente sempre recomenda é a livre demanda. Quando o bebê quiser mamar, ele mama. Sem controlar horário, sem controlar tempo de mamada. O bebê sabe a quantidade que quer mamar e quando vai querer novamente. O leite materno, diferente da fórmula, é digerido muito facilmente – é por isso que às vezes os bebês não conseguem segurar três horas. Eles acabam mamando com mais frequência. O que a gente sempre fala é para, quando o bebê é muito pequenininho, não deixar passar de três horas. Tem bebês prematuros e recém-nascidos que mamam, dão uma dormida e esticam o sono. Nestes casos, a gente recomenda acordar o bebê e dar uma estimulada: colocar para mamar que, mesmo sonolentos, eles acabam pegando.

Devo oferecer uma mama em cada mamada?

Essa é a recomendação. Um peito por mamada. Deixar o bebê esvaziar bem a mama, mas quando a mãe sentir que está murchinha, que o bebê já está ficando incomodado, se esticando e reclamando, oferta a outra mama – se ele quiser mamar mais. Se ele mamar só uma, está ótimo. Não precisa ficar trocando. Tem uma transição do leite anterior para o leite posterior. Tem umas fases dentro do leite: tem o leite mais aquoso, tem o leite mais gorduroso e o bebê precisa de todas. Se ele mamar um pouquinho numa mama, um pouquinho na outra, ele vai acabar pegando o leite anterior. Então, deixa ele esvaziar uma mama, ingerir todo esse leite que está lá para pegar todas as fases do leite.

 

Quer saber mais sobre amamentação? Acesse outros posts sobre o assunto.

 

 Quando devo procurar uma consultora de amamentação?

 

 Mitos da amamentação: a consultora, Natalia Zveibil, esclarece dúvidas

 

 Vamos falar sobre Amamentação Prolongada?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *