fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

Quando chega a hora do desmame

Quando chega a hora do desmame

Qual é a hora certa para o desmame? A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é a amamentação até os dois anos ou mais, sendo exclusiva até os seis meses. Isso não quer dizer que o desmame só deva acontecer quando a criança completar dois anos. Há bebês que deixam de mamar antes disso naturalmente. Há também mães que precisam desmamar antes disso. Há ainda mães e bebês que optam pela amamentação prolongada, para além dos dois anos.

Diante do que se sabe sobre os benefícios da amamentação e do desenvolvimento médio dos bebês, especialistas afirmam que a criança vai acabar desmamando na faixa dos 2 a 4 anos. Por isso, se mãe e bebê estão bem na dinâmica das mamadas, não vale se estressar com a pergunta que abre este texto. Qual é a hora certa para o desmame? Essa hora chegará naturalmente.

Sinais de que a criança está pronta para desmamar

Se houver a necessidade de realizar um processo de desmame – é bom repetir “processo”, já que o desmame abrupto deve ser evitado –, existem alguns sinais que apontam que a criança poderá lidar com isso mais facilmente. Primeiramente, o ideal é que o bebê não tenha menos de um ano de idade. Ele também deve estar já aceitando alimentos variados. E já não tenha mais tanto interesse nas mamadas. Outro sinal é a criança conseguir dormir algumas vezes sem mamar. Mais um sinal, por fim, é ela aceitar outras formas de consolo.

Ações para facilitar o desmame

Para iniciar o processo de desmame – repetindo novamente: “processo”, com idas e vindas –, a mãe deve estar bem segura dessa decisão. Isso vai passar segurança também para o filho, facilitando na transição. É importante conversar bastante com o filho e dar carinho adicional. 

Para distrair a criança na hora em que ela buscar o peito, é bom a mãe ter já engatilhado um arsenal de atividades. Por exemplo, giz de cera e papel, adesivos, massinha de modelar, um livrinho preferido, uma música para dançar na ponta da língua, um brinquedo etc. A procura pelo seio também pode ser por sede ou fome. Então, vale perguntar se a criança quer beber água. Ou ficar atenta para ver se não é hora de algo para comer.

Outra dica são livros que ajudam mães e crianças a trabalharem conjuntamente a questão do desmame. Pergunte para as amigas ou no grupo de mães da escola se alguém tem alguma indicação de livro para ajudar o bebê a se despedir do peito.

As questões emocionais do desmame

O desmame é um marco do desenvolvimento infantil. E como para todos os outros marcos – por exemplo, segurar o pescoço, sentar, engatinhar, andar, falar etc. –, cada criança tem seu tempo. Além disso, é um momento de grande amadurecimento e precisa ser cercado de muito carinho.

O desmame é um marco também na relação entre mãe e filho. Por isso, pode trazer um misto de sentimentos na dupla. Pais e outras pessoas do convívio da criança devem participar desse momento, para que ocorra da forma mais tranquila possível.

Como dissemos ao longo desta Semana da Amamentação, amamentar não é somente uma questão nutritiva para a criança. Por isso, o desmame não significa apenas uma alteração do padrão alimentar dela. É o fim de um hábito que ela começou na primeira hora de vida. Assim, é importante tanto o filho quanto a mãe estarem seguros de que o vínculo construído nas incontáveis e intermináveis mamadas seguirá agora de outras maneiras. Em conversas, risadas, brincadeiras, olhares, colos, beijos e abraços…



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *