Parto em casa é tão seguro quanto no hospital, diz estudo internacional

Parto em casa é tão seguro quanto no hospital, diz estudo internacional

Certamente, você conhece (ou sabe de alguém que conhece) uma mãe que deu à luz em casa. E não por acaso, mas por opção. O parto em casa, tão comum na época de nossos avós, voltou a ser a escolha de algumas mulheres. Trata-se de uma decisão polêmica, principalmente quanto à segurança. Ter o filho no conforto do lar seria mais arriscado do que no hospital? Um amplo estudo, liderado pela Universidade McMaster, no Canadá, concluiu que não.

Os pesquisadores analisaram 21 estudos publicados desde 1990, comparando resultados de aproximadamente 500 mil partos domiciliares e hospitalares em oito países: Suécia, Nova Zelândia, Inglaterra, Holanda, Japão, Austrália, Canadá e Estados Unidos. E concluíram que mulheres grávidas de baixo risco não têm maiores chances de morte perinatal ou neonatal se decidirem fazer um parto em casa em vez de em um hospital.

O estudo, publicado pela revista The Lancet ‘s EClinicalMedicine, não encontrou diferenças no risco de morte no momento do nascimento ou nas primeiras quatro semanas de vida em relação ao local do parto. Os cientistas concluíram que não há risco clinicamente ou estatisticamente importante entre os grupos de parto domiciliar e parto hospitalar.

“Cada vez mais mulheres em países com bons recursos estão escolhendo o parto em casa, mas as preocupações quanto à segurança persistem. Esta pesquisa demonstra claramente que o risco não é diferente quando o parto é em casa ou no hospital”, diz a professora de obstetrícia e ginecologia da McMaster Eileen Hutton conforme reportagem da revista Crescer.

A decisão sobre o parto cabe à mulher, que muitas vezes opta por ter o filho em casa em busca de tranquilidade e conforto. No entanto, é válido lembrar que o parto domiciliar pode ser feito apenas por grávidas saudáveis, que tenham feito um pré-natal completo e que tenham entrado em trabalho de parto naturalmente. A conversa com o médico é fundamental para a escolha do local. Essa reportagem da Bebe.com.br traz informações importantes para fazer a escolha.

Federação de Ginecologia e Obstetrícia recomenda parto no hospital

A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) defende “o parto realizado dentro do hospital, com equipe de saúde completa, composta por médicos obstetras, médicos neonatologistas/pediatras, médicos anestesistas, enfermeiras, técnicas de enfermagem e demais profissionais”. “É necessário trabalhar na melhoria da ambiência hospitalar para o parto, pois é muito mais fácil tornar o ambiente hospitalar agradável do que tornar o domicílio seguro”, diz a Febrasgo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *