fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

Outubro Rosa: nossa arma contra o câncer de mama é a conscientização

O câncer de mama é o mais frequente em mulheres no Brasil e no mundo, depois do câncer de pele não melanoma. São cerca de 60 mil mulheres diagnosticadas a cada ano no país. O Outubro Rosa foi criado na década de 90 para encarar de frente esta situação grave. Desde então, o movimento é celebrado anualmente durante todo o mês de Outubro para promover a conscientização, o diagnóstico precoce e o acesso a tratamentos adequados para reduzir os índices de mortalidade pela doença.

É preciso conhecer o câncer de mama, as maneiras de prevenir, os fatores de risco e os sintomas para podermos lutar contra essa doença que chega a matar 42 brasileiras por dia. 

 
Outubro Rosa

Sobre o câncer de mama

O câncer de mama é causado pela multiplicação de células anormais das mamas, que formam um tumor. Existem vários tipos – alguns com desenvolvimento rápido e outros que são mais lentos.

É importante dizer que existe tratamento para o câncer de mama disponível tanto na rede privada quanto na rede pública através do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Existem ainda ONGs espalhadas pelo Brasil, que promovem a melhoria de políticas ligadas ao câncer de mama e oferecem apoio para as mulheres que sofrem com a doença. Essas instituições disponibilizam serviços gratuitos como tratamento psicológico, nutrição, fisioterapia, advocacia, auxiliam na realização de exames e tratamentos e emprestam próteses e perucas, dependendo da característica de cada uma. Essas organizações são, também, fonte de informação sobre a doença para pacientes e todos os envolvidos nessa luta. 

Prevenção

A prevenção consiste em adotar hábitos saudáveis, como uma boa alimentação, prática de atividade física com regularidade, manter peso corporal adequado, amamentar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Essas atitudes evitam cerca de 30% dos casos de câncer de mama.

Diagnóstico precoce

A detecção em fase inicial aumenta as chances de tratamento e cura do câncer de mama. Por isso, a mulher deve conhecer o seu corpo para identificar o que é normal em suas mamas. Quando houver alguma mudança, é preciso procurar um médico para fazer uma avaliação.

Sinais e Sintomas

As mulheres devem observar e tocar as mamas com frequência para detectarem qualquer alteração. Na maioria dos casos, são as próprias mulheres que descobrem a doença.

É preciso estar atenta a sinais como nódulo fixo, endurecido e, geralmente, indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico dos seios; pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço e saída espontânea de líquido dos mamilos. Se um dos sintomas for detectado, deve-se procurar ajuda profissional. É preciso manter a calma, já que essas alterações podem ser um alarme falso.

Além de examinar o próprio corpo, mulheres de 50 a 69 anos devem fazer uma mamografia a cada dois anos para identificar possíveis tumores antes do surgimento dos sintomas.

Mulheres com fatores de risco para o câncer de mama devem conversar com o médico que as acompanha para que ele avalie a conduta a ser adotada.   

 

Sinais do cancer de mama

Fatores de Risco

Alguns fatores aumentam o risco de câncer de mama. O principal é a idade, já que a maioria dos casos ocorrem após os 50 anos. Existem ainda questões comportamentais, relacionadas a vida reprodutiva e hormonal, e fatores genéticos e hereditários.

A obesidade e o sobrepeso após a menopausa, o sedentarismo, o consumo de bebida alcoólica e a exposição frequente a radiação ionizante são fatores comportamentais e ambientais que aumentam o risco da doença. Já quando falamos do histórico reprodutivo e hormonal, são consideradas questões como a primeira menstruação ter acontecido antes dos 12 anos, não ter filhos, a primeira gravidez ter acontecido após os 30 anos, não ter amamentado, ter parado de menstruar após 55 anos, uso de contraceptivos hormonais e ter feito reposição hormonal pós-menopausa por mais de cinco anos.

Existem ainda fatores genéticos e hereditários que podem aumentar a probabilidade de câncer de mama, como histórico familiar de câncer de ovário e mama em homens e em mulheres antes dos 55 anos, entre outros. É importante ressaltar que o caráter genético ou hereditário do câncer de mama corresponde apenas de 5% a 10% do total de casos. E apesar desses fatores elevarem o risco, isso não significa que a mulher terá a doença.

Conhece alguma iniciativa relacionada ao Outubro Rosa ou ao câncer de mama? Compartilhe com a gente e fortaleça o enfrentamento a essa doença.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *