fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

O sono das crianças na pandemia. Você também está sofrendo?

O sono das crianças na pandemia. Você também está sofrendo?

A hora de dormir é um dos momentos de maior estresse para os pais. É bem comum, quando falamos dos nossos filhos, ouvir a pergunta: “Dorme bem?” Essa briga com o sono da criançada virou, em tempos de pandemia, uma guerra em muitas casas. E muitos pais já jogaram a toalha. Se você também está enfrentando essa batalha diariamente, calma! #Tamojunto!

As dificuldades para dormir têm se agravado para todo mundo nestes tempos de pandemia. O isolamento social e as mudanças na rotina – ou a total falta de uma – afetam igualmente as crianças. Desde que começou a pandemia da Covid-19, os distúrbios de sono estão entre as queixas mais frequentes nos consultórios pediátricos. E também nos grupos de Whatsapp de pais das escolas. “Meu filho não tira mais soneca!”, “Aqui em casa, só vai dormir bem mais tarde!” etc.

Dificuldade para adormecer é algo comum na infância e na adolescência. Mas agora, no período de confinamento, pode se agravar em situações de mudança de rotina, tensão e estresse. A pandemia do novo coronavírus gera insegurança, medo e ansiedade não somente nos adultos, mas também nas crianças. Já falamos sobre o impacto nos pequenos neste post aqui. “As crianças têm medo de ‘desligarem’, não sabem o que vai acontecer quando isso acontecer”, diz a pediatra italiana Stefania Manetti neste texto do New York Times.

A psicóloga e pós-doutora em distúrbios de sono Luciane Carvalho aponta a falta de socialização como um dos motivos do sono atrapalhado das crianças em reportagem do site bebe.com.br. Afinal, diz, sem a interação com os colegas na escolinha e com os pais trabalhando durante o dia, podem carecer de estímulo social, um aspecto importante para o bem-estar psíquico e que influencia na hora de dormir.

>> Leia todos os posts do blog sobre coronavírus 

Falta de horários fixos para realizar as principais atividades do dia, má alimentação, uso excessivo das telas e eletrônicos, além da falta de atividades físicas diárias (mesmo dentro de casa) e horários desregrados para dormir e acordar estão entre outros possíveis motivos para a dificuldade de pegar no sono.

“Aproximadamente 69% das crianças têm problemas de sono algumas noites por semana. 33% dos menores de 10 anos acordam pelo menos uma vez por noite e necessitam atenção dos pais ou cuidadores”, diz Rafael Vinhal, psiquiatra da infância e membro da Associação Brasileira do Sono em reportagem do G1.

DICAS PARA AJUDAR A TER UMA BOA NOITE DE SONO

  • Reestruture a rotina
    Ter uma rotina traz segurança para a criança e influencia em como será a noite de sono. E como fazer isso? Planejando as atividades do dia: estipular os horários das refeições, de dormir, das atividades de lazer e da escola. Importante principalmente manter os horários de dormir e de se alimentar porque é dessa forma que os pequenos constroem a noção de tempo, regulando a passagem das horas e dos dias da semana. Lembrando, claro, que não se trata de férias, e sim de um isolamento motivado por uma situação extraordinária. Manter algumas atividades-padrão básicas da rotina antiga também ajuda a manter um sentimento de segurança nas crianças.
  • Corte o uso de tela pelo menos 1h antes da hora de dormir
    A tecnologia virou a maior aliada das famílias durante a quarentena. Crianças e adolescentes foram pra frente das telas, inclusive, para fazer atividades escolares. Mas é importante deixar de lado celular, tablet, computador e outros aparelhos eletrônicos pelo menos uma hora antes de ir para a cama. A luz da tela inibe a produção do hormônio melatonina, responsável pela regulação do sono. Sempre é válido lembrar: o tempo de tela deve respeitar os limites definidos pela SBP para cada faixa etária.
  • Controle o consumo de alimentos à noite
    Alimentos que contenham cafeína, açúcar, sucos artificiais, frituras e refrigerantes não devem ser consumidos à noite pelas crianças. Já os ricos em carboidratos e triptofano – aminoácido que ajuda na produção da serotonina, hormônio relacionado ao sono – podem ajudar a dormir melhor.
  • Dedique tempo de qualidade ao seu filho durante o dia
    Embora muitos pais estejam agora o dia todo em casa com os filhos, isso não significa que passem um tempo de qualidade com eles. Enquanto se dividem entre o home office, o apoio na educação virtual, o preparo da comida e o funcionamento da casa, as crianças podem se sentir mais negligenciadas e com dificuldade de se separar dos pais na hora de dormir, diz Craig Canapari, diretor do Centro Pediátrico de Sono do Hospital Yale New Haven, nos Estados Unidos, neste artigo no New York Times. Por mais difícil que seja, ele sugere tentar pausas de 10, 15 minutos para se dedicar exclusivamente à criança durante o dia.
  • “Canse” seus filhos
    Criança precisa gastar energia. Estimular brincadeiras ou atividades que mantenham os pequenos em movimento pode ajudar no sono da noite. O ideal é fazer uma atividade física ao ar livre. Mas quando isso não é possível dá para incluir na rotina dentro de casa (quando viável, claro) brincar de pega-pega, esconde-esconde, ou até alguma aula de ginástica online.
  • Evite comentar ou expor as crianças ao noticiário da pandemia
    Acompanhar as notícias pode ser estressante para algumas crianças. “A mudança na rotina e o excesso de informações da pandemia podem desencadear ansiedade e medo nas crianças, mas com a diferença de que a situação nem sempre está expressamente clara para elas. Isso pode desencadear os pesadelos e a insônia”, explica Isabela Antunes Ishikura, especialista em medicina do sono e editora da revista científica Sleep Science, em reportagem do G1. Ela sugere que, no período da noite, os pais dediquem mais atenção aos filhos, fazendo juntos alguma atividade prazerosa, como um jogo ou um livro.
  • Pratique a “higiene do sono”
    Práticas que preparem os pequenos para o descanso devem ser estabelecidas como hábito, na forma de “rituais”, indica a pediatra Nathalia Gioia, do Centro de Nutrologia e Dificuldades Alimentares do Instituto PENSI – Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil. Essas atividades são nomeadas “higiene do sono” e precisam ser individualizadas e viáveis para o contexto de cada família. Entre elas estão um banho antes de dormir para relaxar e a organização do quarto. Você pode ler mais sobre isso aqui



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *