fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

O que não dizer a uma gestante

O que não dizer a uma gestante

A gravidez é um período incrível, mas também delicado. As mães já começam a sofrer com palpites e conselhos não requisitados desde quando anunciam que estão grávidas. Que atire a primeira “fralda!” a mulher que nunca ouviu algo desconfortável durante a gestação. Numa fase em que os hormônios estão à flor da pele, comentários e perguntas que, para você podem parecer inocentes, para uma gestante pode ser ofensivo ou constragedor. Por isso, para evitar qualquer tipo de mal-estar, é importante saber o que não dizer a uma gestante. Você também pode colaborar para que a chegada do filho(a) da sua amiga, conhecida, irmã ou cunhada seja mágica. Basta controlar a língua, ok?

Abaixo, elencamos comentários e perguntas que devem ser evitados:

 

1 – “Oi, gravidinha!”

Tudo bem que, dependendo da fase da gravidez, a barriga é o que primeiro chama a atenção em uma mulher. Mas nunca esqueça que essa gestante tem uma identidade. E não é porque ela está gerando um filho que perdeu o seu nome ou deva ser tratada como criança – aliás, nem criança merece ficar ouvindo tudo no diminutivo. Cumprimentar ou se referir a uma gestante como “gravidinha” é algo que pode trazer bastante desconforto ou irritação.

 

2 – “A gravidez foi planejada?”

Além de invadir a privacidade da mãe, que tipo de informação a pessoa quer tirar ao perguntar algo assim? Se ela está decepcionada em vez de estar feliz? Uma gravidez não planejada pode trazer tanta felicidade quanto uma que vem sendo esperada há muito tempo.

 

3 – “Já sabe o que é?”

“Claro que sim, uma pessoa a caminho”. Não dá vontade de responder assim quando alguém questiona se já sabe o sexo do bebê? Oras, não basta a própria expectativa e todas as questões que envolvem o início da gravidez, ninguém merece ter que tentar matar a curiosidade alheia. Que venha saudável. Ponto.

 

4  – “Que barrigão! Tem certeza que não são gêmeos?”

Não, não são gêmeos. Barriga grande não quer dizer que vem um bebê com sobrepeso nem gêmeos, assim como uma barriga mais tímida não quer dizer que o neném seja subnutrido. Cada corpo é único e reage de um modo à gravidez. Perguntar se são gêmeos pode dar a entender que você acha que ela está “grande” demais para gerar um único bebê. Então, em vez de colocar em dúvida o que essa mãe enxerga no ultrassom, elogie a barriga esbelta ou simplesmente fique em silêncio.

 

5 – “Aproveita agora porque depois que nascer vai ser pior”

Cuidar de uma criança exige trabalho e dedicação, claro. Mas isso de forma alguma quer dizer que a “vida vai ser pior”. Pelo contrário, é uma nova fase de tanto amor e alegrias que você não se imagina mais sem aquele novo serzinho ao lado.

 

6 – “Faça uma cesárea” ou “Faça um parto normal”

Opinar sobre a forma como o bebê alheio deve vir ao mundo é pra lá de desagradável. Ainda mais se a fala vier acompanhada de exemplos mal-sucedidos de qualquer tipo de parto. Saiba que essa escolha é única e exclusiva da mãe, que vai tomar a decisão que lhe deixar mais confortável em conjunto com o seu médico.

 

7 – “Posso tocar na sua barriga?”

Embora muitas mulheres não se incomodem, há quem se sinta desconfortável em ter alguém acariciando a sua barriga. Ainda mais se a pessoa não for íntima. Cada uma sabe como se sente melhor em relação ao próprio corpo e, se a grávida quiser dividir este momento entre bebê e você, ela mesma fará o convite.

>> Guia de etiqueta para visitar um recém-nascido

 

8 – “Quantos quilos você engordou?”

Um fantasma que assombra grávidas, principalmente as mães de primeira viagem, é a tal da balança. Mesmo controlando na alimentação, há quem tenha mais facilidade de ganhar peso. Isso é algo delicado. Então prefira evitar o assunto.

 

9 – “Tem certeza que pode comer isso?”

Essa é mais uma daquelas perguntas indelicadas. Ninguém melhor do que a própria grávida pra saber o que faz bem ou mal a ela e ao feto. Ela certamente tem conhecimento do que pode comer e o que deve ser evitado. Fazer esse tipo de questionamento fará com que você se pareça com um vigilante do peso.

 

10 – Histórias trágicas que ocorreram com gestantes

Parece óbvio, mas não. Tem aquelas pessoas sem desconfiômetro que adoram contar histórias que envolvem aborto ou partos complicados, por exemplo. Não bastasse a sensibilidade que envolve a mulher nesse momento, há milhares de dúvidas e medos que elas enfrentam durante a gestação. Então o que essas mamães menos precisam é ouvir casos trágicos, como se toda gravidez fosse igual.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *