fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

O amor entre mãe e filho captado por ressonância magnética

O amor entre mãe e filho captado por ressonância magnética

Você já beijou o seu filho hoje? O reflexo desse ato materno tão importante está na imagem acima. Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Cambridge, nos Estados Unidos, conseguiram, pela primeira vez no mundo, captar o “amor” entre mãe e filho. E isso foi feito através de uma ressonância magnética, que mostrou como o cérebro reage num momento de afeto. Curioso, não é mesmo?

Na imagem, aparece a neurocientista Rebecca Saxe, professora de neurociência cognitiva e chefe do departamento associado do Departamento de Ciências Cerebrais e Cognitivas, beijando o seu filho de dois meses, na época. O exame foi feito em abril de 2015, no laboratório do MIT, mas ganhou a internet recentemente.

Os pesquisadores explicam que o beijo causa uma reação química no cérebro, que inclui o aumento da ocitocina – conhecida como o hormônio do amor. A ocitocina desperta sentimentos de carinho e apego. A reação ao beijo também libera dopamina, que traz a sensação de bem-estar, e serotonina – o hormônio do prazer -, que ajuda a regular o humor.

Na época, a própria Rebecca falou sobre a reação das pessoas diante da imagem. Algumas se sentiram atraídas, diz ela, pela maneira como as duas figuras, com roupas, cabelos e rostos invisíveis, tornaram-se universais e poderiam ser de qualquer mãe e filho, em qualquer momento ou lugar da história. Outras, continua, foram simplesmente cativadas pela diferença entre o cérebro do bebê e o da mãe: o da criança é menor, mais suave e mais escuro porque há menos substância branca. 

“Eu vi uma imagem muito antiga renovada. Mãe e filho são um poderoso símbolo de amor e inocência, beleza e fertilidade. Embora esses valores maternos, e as mulheres que os incorporam, possam ser venerados, eles geralmente são vistos em oposição a outros valores: investigação e intelecto, progresso e poder. Mas sou neurocientista e trabalhei para criar essa imagem; e eu também sou a mãe, enrolada dentro do tubo com meu filho pequeno”, disse ela, na época.

Amor de mãe ajuda no desenvolvimento do cérebro da criança

Outra pesquisa, divulgada em 2016, também fala sobre a ação do amor da mãe no cérebro do bebê. Falamos aqui sobre esse estudo, liderado pela psiquiatra americana Joan Luby, da Universidade de Washington. Segundo ele, uma importante área do cérebro cresce duas vezes mais rápido em crianças cujas mães são afetuosas e presentes em seu cotidiano. Acompanhe o Blog da Maya para não perder essa história.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *