fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

Guia de etiqueta para visitar um recém-nascido

Guia de etiqueta para visitar um recém-nascido

O telefone toca ou a mensagem no celular traz a notícia que você aguardava ansiosamente: o bebê nasceu. Quanta alegria! Você acompanhou a gravidez da nova mamãe, ajudou a escolher o enxoval, participou do chá de bebê e ainda deu uma mão na arrumação do quartinho do neném. Agora, claro, não vê a hora de sair correndo para a maternidade conhecer o rostinho do bebê. Opa! Muita calma nessa hora. Antes de ir lá apertar o neném, dá uma olhada no nosso guia de etiqueta para visitar um recém-nascido.

E a gente explica por quê. A chegada de um bebê é motivo de celebração, tanto para a família quanto para amigos próximos. Mas também é um momento de muitas mudanças, descobertas e adaptações para os novos papais. Há quem prefira, por exemplo, viver essa nova fase com mais privacidade, sem receber visitas. O que é totalmente compreensivo. Portanto, para evitar qualquer desconforto, reunimos 10 dicas para visitar um recém-nascido, seja ele da sua irmã, prima, amiga ou conhecida. Interpretar os sinais dos pais e do bebê são bons indicadores para uma visita bem-sucedida.

 

1 – Pergunte aos pais: na maternidade ou em casa?

Ainda na gravidez, converse com a gestante e o pai do bebê para saber se eles preferem visita na maternidade ou em casa. Algumas pessoas aproveitam que estão com assistência, enfermeiras e cercadas de cuidados para receber na maternidade. Outros acham cedo demais, diante de todas as mudanças e adaptações que envolvem a chegada de um bebê, para receber os amigos. Optam por um momento inicial íntimo, em família, para depois, já mais acostumados com a nova rotina, abrir as portas de casa para os convidados. Por isso, pergunte sempre antes. Se o casal pedir para esperar, tudo bem. Se disser que está esperando na maternidade, ótimo também. Em algum momento, mais cedo ou mais tarde, você terá a oportunidade de abraçar essa nova família. Aliás, também pode haver restrições às visitas por questões médicas.

 

2 – Ligue antes para combinar a visita

Guarde a visita surpresa para outra ocasião. Para conhecer um recém-nascido você deve ligar para combinar qual o melhor dia e horário, principalmente quando a visita for em casa. Receber gente nos horários de mamada, banho ou refeições pode complicar ainda mais a vida dos pais que já está de ponta-cabeça. E outra: mamães gostam de preparar algo para recepcionar, nem que seja um cafezinho com biscoito. Marcando um horário, a possibilidade de conseguirem se organizar é maior.

 

3 – Faça uma visita rápida

Já ouviu falar na expressão “visita de médico”? Pois então. Ela quer dizer: um encontro rápido. Isso vale nesses casos também. Não estenda muito a permanência na maternidade (lembra que a mãe recém passou por um parto, muitas vezes exaustivo!) ou em casa. Esse é um momento agitado na vida da família e visitas longas podem ser cansativas tanto para os pais quanto para o bebê. Se a criança estiver dormindo, por exemplo, os pais aproveitam para descansar. Agora, claro, se você é íntimo do casal, é uma boa oportunidade para ficar mais e oferecer ajuda, se for o caso: cuidar do recém-nascido enquanto os papais relaxam, fazer uma comidinha gostosa, comprar algo que falte em casa.

 

4 – Deixe as crianças em casa

Crianças adoram ver crianças, mas leve o seu filho (a) para conhecer o recém-nascido só se ele for íntimo da família. Os pequenos podem fazer muito barulho ou querer pegar e tocar o neném, o que não é indicado nesse começo. Espere uns meses para começar essa convivência.

 

5 – Higienize as mãos

Quartos de bebê geralmente têm um aparente frasco de álcool-gel. Se estão lá é porque as mães preferem que usem após lavar as mãos. E nem precisa explicar muito, né? É para proteger o bebê. Recém-nascido não tem o sistema imunológico completamente desenvolvido e é mais suscetível a vírus e bactérias. Todo cuidado é fundamental.

 

6 – Não beije no rosto

Que dá vontade de pegar no colo e logo sair beijando aquelas bochechas fofinhas, ah se dá! Mas evite. Também por questão de proteção. Como o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento, a chance é maior de contrair infecções. O toque deve ficar restrito à cabeça, pés e barriga. E, claro, só faça isso se os pais do recém-nascido autorizarem.

 

7 – Esqueça o perfume ou os cremes com cheiros fortes

O olfato do bebê é mais sensível. Perfumes ou cremes fortes podem irritar as vias aéreas e causar incômodo tanto no bebê quanto na mãe. Sem falar que o cheiro pode ficar impregnado no ambiente ou nos pais. Então deixe para passar o seu perfume preferido quando não estiver mais em contato com o recém-nascido. Toda a família agradece.

 

8 – Dê atenção ao irmão mais velho

A chegada de um bebê também é um momento delicado para o irmão mais velho. Ele deixou de ser filho único, as atenções voltaram para o recém-nascido. Já pensou como está essa cabecinha? Quando você for visitar o bebê, faça o irmão mais velho também se sentir importante. Levar uma lembrancinha ou separar 5 minutinhos para brincar vai ajudar nesse processo de adaptação. Os papais agradecem.

 

9 – Adie a visita se estiver doente

Qualquer sinal de indisposição ou gripe é suficiente para adiar a visita. Avise os pais e remarque para quando estiver totalmente recuperado, sem qualquer risco de contágio tanto para mãe quanto para o bebê.

 

10 – Segure os palpites

Tudo do que uma nova mãe não precisa nesse momento de adaptação é de palpites. O cansaço, a ansiedade e os hormônios deixam as mulheres vulneráveis no período pós-parto. Por isso, qualquer sugestão ou conselho inconveniente pode causar um efeito negativo. Evite ao máximo dar conselhos ou criticar suas escolhas.

>> Como escolher a maternidade ideal

 

Dica para os pais

Não se sintam, de forma alguma, obrigados a receber visitas. Se não estiverem à vontade – ou com vontade – de receber sejam parentes ou amigos neste momento, melhor recusarem a gentileza. Se for alguém com quem têm bastante intimidade, digam abertamente que ainda estão se adaptando à nova vida e que avisarão quando as portas estiverem abertas. Se acharem que a sinceridade não será bem recebida, uma desculpa inventada não não vai fazer mal. É por uma boa causa. Colocar a culpa no pediatra – “o médico pediu para esperar o bebê ganhar peso para receber visitas” – deve funcionar.

Por falar em visitas, vale deixar com alguém próximo (pode ser o próprio pai) uma lista das pessoas que devem ser avisadas quando o bebê nascer.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *