Exercícios físicos na gravidez: os benefícios para mãe e bebê

Exercícios físicos na gravidez: os benefícios para mãe e bebê

A prática de exercício físico é recomendada para qualquer pessoa que busca ter mais saúde, e durante a gravidez não é diferente. Sabe-se que uma rotina ativa e saudável traz diversos benefícios para o corpo e a mente, reduzindo o risco de doenças crônicas e promovendo bem-estar. No caso das gestantes, os benefícios chegam também ao bebê. 

No momento atual, diante da pandemia da Covid-19, o assunto é ainda mais importante. As mulheres tendem a ficar mais tempo em casa, muitas vezes sentadas em frente ao computador, e evitam sair para se exercitar por medo do contágio (claro, todo cuidado é pouco! Estamos falando de um grupo de risco). 

Existem vários exercícios recomendados para gestantes, entre eles yoga, alongamento, caminhada, hidroginástica e natação (estes dois últimos mais difíceis em tempos de pandemia). As atividades, em geral, são de menor impacto para não prejudicar os joelhos.

A prática de atividade física em casa é uma alternativa que deve ser incentivada para melhorar a imunidade, por exemplo, e evitar doenças. É possível fazer aulas online ou aprender movimentos específicos, como mostra esta reportagem do Globo Esporte com sugestões de exercícios para gestantes fazerem na sala de casa. Há quem opte também por contratar um profissional para dar aula particular, online ou presencial (aí o ideal é sempre fazer num ambiente aberto ou arejado). O importante, neste caso, é estar em movimento. 

A Caderneta da Gestante do Ministério da Saúde inclui a prática de atividades físicas como parte da rotina das mães e que deve ser mantida até o final da gravidez, se não houver restrições médicas. Além de ajudar a controlar o ganho de peso, reduzindo o risco de diabetes gestacional, melhora o sistema cardiovascular, trazendo benefícios para a mãe e o bebê. As caminhadas, por exemplo, são ótimas para melhorar a circulação do sangue, trazer mais disposição e liberar endorfina no corpo. O esporte também melhora a disposição da mulher, tem impacto importante na prevenção da depressão pós-parto e aumenta a oxigenação da placenta, por onde o bebê recebe nutrientes e oxigênio. 

Gestante deve fazer 150 minutos de atividade física por semana

Associações médicas de todo o mundo recomendam pelo menos 150 minutos semanais de atividade moderada, dividida em 3 dias ou mais, de preferência; treinar músculos do assoalho pélvico a fim de reduzir riscos de incontinência urinária; e diversificar entre exercícios aeróbicos e resistido, como pilates. 

Já a OMS indica a atividade regular durante a gestação para evitar, principalmente, dores lombares e pélvicas, sendo também indicado fisioterapia, cintas de suporte e acupunctura.

Alguns exercícios são contraindicados durante a gravidez. Em especial aqueles que podem ocasionar lesões na barriga, quedas ou forçam muito a região lombar e abdominal. Em caso de dúvida, pergunte sempre ao seu médico durante as consultas de pré-natal se há contraindicações nas atividades desejadas. Importante também monitorar saúde de mãe e bebê. 

Semanas depois do parto é importante voltar a praticar atividades físicas, com autorização médica. A retomada auxilia a fortalecer o abdômen e a pelve, ajuda na saúde mental, traz mais disposição e, consequentemente, ajuda na perda de peso.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *