fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

Covid-19: anticorpos no leite materno são estudados para tratamento da doença

Covid-19: anticorpos no leite materno são estudados para tratamento da doença

O leite materno possui todos os nutrientes que o bebê precisa nos seis primeiros meses de vida. Também carrega anticorpos que auxiliam no sistema imunológico da criança. São inúmeros os benefícios do alimento. E esta lista pode aumentar com um estudo recente que relaciona o leite materno ao tratamento da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Pesquisadores da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, em Nova York, e do Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia em Merced concluíram que o leite materno de mulheres infectadas pela Covid-19 apresentou uma resposta imunológica ao novo coronavírus. Para os cientistas, então, o leite materno poderia ser usado como terapia contra a Covid-19.

Mesmo sendo uma notícia animadora, o estudo – publicado na plataforma medRxiv – ainda precisa passar pela revisão da comunidade científica.

>> Leia todos os posts do blog sobre coronavírus 

Já se esperava que o leite produzido por mulheres infectadas apresentasse anticorpos para o novo coronavírus, segundo reportagem do jornal O Globo. Isso porque o colostro – o leite produzido no início da amamentação – contém imunoglobulinas G, o tipo de anticorpo mais abundante no organismo, responsável pela proteção contra vírus e bactérias e cuja presença no leite materno deriva, em sua maior parte, do sangue da mãe. Ainda não se conhecia, porém, a quantidade exata de anticorpos para a Covid-19 presente no leite materno.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores avaliaram 15 amostras de leite materno obtidas de doadoras que tinham sido contaminadas com o Sars-Cov-2 (vírus causador da Covid-19) e 10 amostras coletadas antes de dezembro de 2019, de mulheres que não foram infectadas. Todo o material foi exposto ao Sars-Cov-2, segundo a reportagem. Das amostras doadas pelas mães infectadas, 80% apresentaram reação de Imunoglobulina A (IgA), e todas registraram resposta de anticorpo secretório. Isso sugere que a IgA detectada pertence, predominantemente, à subclasse Imunoglobulina A secretória (ou sIgA, na sigla em inglês).

Segundo os especialistas, o caráter secretório do anticorpo merece destaque, pois anticorpos dessa categoria são altamente resistentes à degradação proteica no tecido respiratório. Desse modo, diz O Globo, o leite humano poderia ser purificado e usado no tratamento da Covid-19.

“No geral, os dados indicam que existe uma forte resposta imunológica protagonizada pela sIgA no leite humano após a infecção na maioria dos indivíduos, e que um estudo abrangente dessa resposta é altamente necessário”, disseram os pesquisadores.

Vale lembrar que se trata de um estudo em andamento e que ninguém deve sair por aí procurando leite materno para prevenir ou tratar a Covid-19. Fique atento aos sinais da doença e procure orientação médica sempre que necessário. E não esqueça: #fiqueemcasa.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *