fbpx

Gestação, amamentação e muito mais

Campanha Sinal Vermelho ajuda vítimas de violência doméstica na pandemia

Campanha Sinal Vermelho ajuda vítimas de violência doméstica na pandemia

O isolamento social, imposto pela pandemia da Covid-19, trouxe mais um problema às vítimas de violência doméstica: a dificuldade em denunciar os agressores. Isoladas dentro de casa e muitas vezes sem acesso a um telefone ou internet, elas se veem impossibilitadas de pedir socorro. Foi pensando nisso que surgiu a campanha Sinal vermelho contra a violência doméstica, lançada no começo de junho pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com apoio de entidades da sociedade civil.

O objetivo é incentivar denúncias por meio de um símbolo: ao desenhar um “X” vermelho na palma da mão – pode ser com batom, canetinha, tinta – a mulher sinaliza que está em situação de violência ao funcionário de alguma farmácia do país. A partir daí, os profissionais das farmácias e drogarias que aderirem à campanha seguem um protocolo para acolher a vítima e comunicar a denúncia à polícia. A ajuda é feita de maneira silenciosa e discreta. Balconistas e farmacêuticos podem ficar tranquilos: não serão conduzidos à delegacia e nem, necessariamente, chamados a testemunhar, dizem os organizadores.

O projeto conta com a parceria de 10 mil farmácias e drogarias em todo o país (confira aqui a lista de redes parceiras) e é uma resposta conjunta de membros do Judiciário ao recente aumento nos registros de violência em meio à pandemia do novo coronavírus. Uma das consequências da quarentena foi expor mulheres e crianças a uma maior vulnerabilidade dentro da própria casa.

Em março e abril, o índice de feminicídios cresceu 22,2%, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Já as chamadas para o número 180 (Central de Atendimento à Mulher) tiveram aumento de 34% em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo balanço do governo federal.

Vale destacar que a Central de Atendimento à Mulher é um serviço de utilidade pública confidencial. O 180 recebe a denúncia de violência, orienta mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente e, quando necessário, encaminha a vítima para outros serviços. Funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive durante a pandemia. Neste link estão as cartilhas da campanha Sinal vermelho. Uma voltada às mulheres vítimas de violência doméstica e outra para as farmácias.

Outras formas de pedir ajuda:

• Polícia Militar – disque 190
• Corpo de Bombeiros – disque 193
• Polícia Civil – atendimento presencial ou online (aqui a Polícia Civil de São Paulo disponibiliza um passo a passo para registrar ocorrência de violência doméstica e familiar contra a mulher)
• Ministério Público
• Defensoria Pública



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *