A importância de falar com as crianças sobre a pandemia da Covid-19

A importância de falar com as crianças sobre a pandemia da Covid-19

A essa altura do campeonato, ou melhor, da quarentena motivada pela pandemia da Covid-19, você já deve ter conversado, de uma maneira ou de outra, com seu filho sobre esta doença provocada pelo novo coronavírus. E é muito importante mesmo explicar e incentivar o diálogo com crianças e adolescentes neste momento atípico.

A rotina mudou. As escolas fecharam. Os pais, agora, se dividem entre o home office, os trabalhos da casa e os cuidados com os filhos. Para ter aula, agora só pelo computador. Nada de brincar com os amigos nem visitar os avós. São 24 horas em casa. Sem falar que agora as pessoas andam de máscara na rua.

Durante crises como esta, as crianças podem se sentir carentes ou ansiosas, ter raiva ou agitação e se retrair. Muitas vezes, preocupação e ansiedade se manifestam de formas diferentes. Podem aparecer em mau comportamento, apego excessivo ou até regressão em certas conquistas de desenvolvimento.

>> Leia todos os posts do blog sobre coronavírus 

Por isso, especialistas reforçam a importância de conversar com os filhos para que eles consigam sentir algum conforto durante momentos de incerteza. A dica é: estabelecer uma conversa aberta, franca e honesta.

Nesta reportagem da BBC, o psicólogo infantil Richard Woolfson diz que a maneira correta de conversar com crianças sobre grandes problemas como o coronavírus depende da idade delas. “As crianças mais jovens, em geral de seis, sete anos, provavelmente estão agitadas com tudo o que ouvem ao seu redor por causa dos pais falando sobre o tema.” E diz: “Isso pode ser bastante assustador para elas”.

Para as crianças mais novas, Woolfson indica: “Antes de tudo, tranquilize seu filho. Você não sabe o que vai acontecer, mas diga a ele ‘você vai ficar bem, todos vamos ficar bem. Algumas pessoas vão contrair o vírus, mas vamos todos ficar bem'”. Os pais, neste caso, podem estabelecer uma conversa normal com elementos lúdicos.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) reforçou a importância do diálogo, oferecendo 8 dicas básicas para os pais:

  1. Faça perguntas abertamente e ouça a criança
  2. Seja honesto(a): explique a verdade de uma forma que a criança entenda
  3. Mostre à criança como proteger ela mesma e seus amigos
  4. Ofereça segurança
  5. Verifique se elas estão sendo estigmatizadas ou espalhando estigmas
  6. Procure quem pode ajudar
  7. Cuide de você
  8. Encerre as conversas com cuidado

As recomendações da OMS para falar com crianças

Em documento divulgado em março, com considerações sobre a saúde mental e psicossocial da população durante a pandemia da Covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) traz informações sobre como o assunto pode ser abordado com crianças.

Os adultos devem estimulá-las a expressar sentimentos que podem ser despertados pela pandemia, como medo e tristeza. Para facilitar esse processo, o ideal é recorrer a brincadeiras ou desenhos. “Crianças se sentem aliviadas se puderem se expressar e comunicar seus sentimentos num ambiente acolhedor e seguro”, diz a nota.

Ressalta também a importância de manter a criança perto de seus pais e familiares, se isso for seguro, e de manter as rotinas diárias dela dentro do possível. A OMS diz que os pequenos demandam mais dos pais em tempos de crise e estresse e, por isso, mais uma vez reforça a importância de conversar com eles sobre o vírus em linguagem apropriada à idade.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos também fez uma série de recomendações sobre o assunto, em seu site. Aqui nesta reportagem do Nexo você pode ver as orientações.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *