A gravidez sem plano de saúde. O que fazer?

A gravidez sem plano de saúde. O que fazer?

Nem sempre a gravidez é planejada. Ou nem sempre há um planejamento para decidir sobre a chegada do bebê. E aí, quando vem o resultado positivo, os sentimentos oscilam entre felicidade e preocupação. Principalmente quando se trata da questão financeira já no pré-natal – acompanhamento médico da mulher que deve começar assim que ela recebe a confirmação da gravidez. Se a gestante não tiver plano de saúde, como proceder?

O primeiro passo é procurar a unidade básica de saúde mais perto de sua casa. No Brasil, toda gestante tem direito, garantido por lei e pelo Ministério da Saúde, a realizar exames e acompanhamento pré-natal para que seu bebê nasça com segurança. O Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento (PHPN) prevê, por exemplo, no mínimo seis consultas de acompanhamento pré-natal pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Estes atendimentos são fundamentais para avaliar a saúde do feto, o andamento da gestação e esclarecer dúvidas. Não deixe de fazer inclusive no período de pandemia (falamos sobre isto neste post do Blog da Maya).

>> EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GRAVIDEZ: OS BENEFÍCIOS PARA MÃE E BEBÊ

As consultas e os grupos de gestantes são realizados tanto por médicos (as) quanto por enfermeiros (as). O PHPN também estabelece que “toda gestante tem direito de saber e ter assegurado o acesso à maternidade em que será atendida no momento do parto”. Mas os cuidados com a gestante não acabam após o nascimento. O SUS deve atender mãe e bebê no período do puerpério (42 dias após o parto), dando assistência à amamentação e auxiliando no planejamento reprodutivo, por exemplo. A Caderneta da Gestante, elaborada pelo Ministério da Saúde, tem muitas informações e dicas importantes para a gestante. 

Além de fazer o pré-natal na rede pública de saúde, você também tem a opção de contratar um plano de saúde durante a gestação. Neste caso, você só terá direito à cobertura parcial do plano – ou seja, aquelas cujas carências já foram cumpridas. Provavelmente, o parto não estará incluso (carência é de 300 dias). Mesmo assim, não descarte a opção visto que você terá outras vantagens e a garantia de cobertura quando o seu filho nascer e precisar de assistência médica. O Guia da Gestante: Para usar bem o seu plano ou seguro de saúde é um informativo bem completinho sobre a contratação de um plano de saúde nesta fase da vida. 

O pré-natal sem plano de saúde
A cada consulta pelo Sistema Único de Saúde (SUS) o profissional deve: 
1. Perguntar como a gestante está se sentindo, como passou o mês e ouvir dúvidas e impressões sobre esse momento; 
2. Fazer o exame clínico que inclui:
• verificar peso e pressão arterial, 
• observar se há sinais de anemia ou inchaço, 
• medir o tamanho da barriga, 
• ouvir as batidas do coração do bebê; 
3. solicitar e avaliar o resultado dos exames; 
4. verificar as vacinas do pré-natal; 
5. prescrever tratamentos, se necessário; 
6. orientar quanto às questões da gravidez e do parto. 

Fonte: Caderneta da Gestante



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *